Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A mãe imperfeita

Porque a maternidade é difícil. E as mães precisam de rir.

A mãe imperfeita

Porque a maternidade é difícil. E as mães precisam de rir.

28
Jan19

Este é o Jornal Imperfeito

 

Amigas, metam na cabeça que eu gosto realmente de vocês. Sim, é verdade que não nos conhecemos de lado nenhum, mas também é verdade que passei a última hora fechada na casa-de-banho a dizer que morria e, mesmo assim, aqui estou toda satisfeita, já de imodium no bucho, a escrever o único jornal online que fala apenas das notícias que realmente importam. Enfim, se isto hoje estiver uma merda já sabem que é para não destoar do resto do meu serão. E para ficar mesmo tudo a combinar vamos começar com uma notícia que aconteceu precisamente numa sanita.

 

 

cobra.png

 

Vocês atentem bem nesta situação macabra: a pessoa vai à casa-de-banho fazer o seu chichi e, como conhece bem os cantos à casa, não acende a luz. Sucede que quando se senta na sanita sente uma picada no rabo e descobre que é uma cobra com um metro e meio. PORRA! Eu tinha morrido ali uma dúzia de mortes e não interessava nada que a cobra não fosse venenosa que o que me matava era o medo.

 

Ao que parece a senhora é um bocadinho mais expedita que eu e manteve a calma tendo tido, inclusivamente, inteligência suficiente para não puxar o autoclismo que diz que isso é que irrita muito as asquerosas bichas rastejantes.

 

E se é verdade que isto se passou na Austrália sempre quero ver quantas de vocês é que se voltam a sentar numa sanita com a mesma confiança de antigamente. Eu não volto de certeza.

 

 

meias.png

A segunda notícia de hoje pode ser considerada macabra por alguns mas, para mim, é só mais uma prova de astúcia feminina. Pois que, ao que parece, um senhor inglês ao desembrulhar as peúgas que lhe ofereceram no Natal, encontrou lá dentro um ossinho de perna humano. E toda a gente se despachou a acusar a marca esquecendo a hipótese mais óbvia: a sogra. É que nem é preciso ler muitos policiais para desvendar esta história. Ora vejam lá:

 

1. A sogra descobre que o genro tem uma relação extra-conjugal,

 

2. A sogra pensa numa forma subtil de o avisar que, se continua a enfeitar-lhe a testa da filha, vai fazer por transformá-lo em pó,

 

3. É época de Natal e a sogra compra-lhe o costumeiro par de peúgas,

 

4. No início do mês de Dezembro a sogra vem ao Algarve visitar um casal amigo que, para gozar a reforma, comprou casa em Alvor e passa o ano de mangas à cava e sandálias com meias brancas,

 

5. A sogra e a amiga compram uma excursão a Évora,

 

6. Na Capela dos Ossos a sogra tem uma epifania e, sem ninguém dar conta, rouba uma tíbia enquanto pensa "deixa estar seu cabrão que até vais perder pinguinhas",

 

7. A tíbia é colocada dentro de uma das peúgas,

 

8. Na Noite de Natal, quando o genro desembrulha o presente e encara a sogra, ela deita-lhe um olhar que diz qualquer coisa como "percebeste meu badameco do caralho? Continuas a enganar a minha filha e a próxima tíbia que vou ter na mão é a tua",

 

9. A filha pergunta ao marido "o que é isso my love?",

 

10. O marido da filha, genro daquela sogra, faz um ar chocado e diz "já viste estes gajos da Primark? Vendem as merdas baratas porque as roubam aos mortos, deixa que já vou fazer uma queixa".

 

 

Só pode ser isto amigas. Não duvidem do instinto de detective da vossa Imperfeita.

 

 

 

filme.png

E desta, o que me dizem? Já viram bem o que é estarem com o vosso marido no aquecimento para um serão picante e, de repente, perceberem que conhecem bem demais os personagens principais do filme de fraco argumento que estão a ver? Imagino o diálogo...

 

- Ai pá, aquela mulher faz-me lembrar alguém...

- Olha, a mim também, - responde o vosso namorado -, quem é que não estou a assim a ver...

- E o homem, já viste o sinal que tem nas costas?

- Não, o que tem?

- É igualzinho ao do meu pai.

- Pxiuuu, cala-te que eles agora vão falar, quero ouvir.

- Ouvir o quê? Toda a gente sabe que eles só dizem "Oh sí Ramón, me gusta tu trombone"...

- ...

- Epá, parece a voz da minha mãe porra. Há coincidências do caraças...

- Amor, - diz o vosso namorado em choque -, aqueles são os teus pais!

- ...

- ...

- ...

- Olha lá, mas a tua mãe não tinha duas hérnias discais e fibromialgia? Para uma mulher tão doente estou a achá-la muito flexível.

- Desliga essa merda AGORA.

- Pronto, pronto, não te zangues. Anda cá, onde é que vais?

- Vomitar caralho, vou vomitar. 

- ...

 

 

Letízia.png

 

Por falar em Ramón, então os nuestros hermanos estão muito aborrecidos porque a rainha se coçou em público? Cá na minha opinião a culpa é deles que não treinaram os fungos para distinguir a realeza. E enquanto esse treino não for feito a pessoa, mesmo sendo rainha, tem que se governar com o ginocanesten como as outras. O que convém lembrar é que uma candidíase das brutas dá mais comichão que a morfina na epidural e que, se calhar, a Letízia não teve nenhuma amiga que lhe dissesse "o que é bom para isso é iogurte natural". Ou não sabem que a vida das rainhas é solitária?

 

 

E por falar em solidão a última notícia desta semana:

 

 

edredão.png

 

Uma mulher que decidiu que se vai casar com o edredão porque é a relação mais duradoura que alguma vez teve. Diz ela que o edredão não trai, não a chateia e ainda a tem sempre quentinha. E isto é tudo muito bonito mas quero ver quando a tampa da polpa de tomate se colar ao frasco quem é que a vai conseguir abrir. Isso e trocar pneus. E mandar a contagem da luz. E carregar as compras pesadas. E matar osgas no Verão. O edredão é bom sim senhora, de acordo, mas os homens também têm muitas vantagens.

 

 

 

E pronto, para a semana, se conseguir, há mais notícias destas assim pertinentes. Logo há grupos de mães. Agora há sono. Muito sono.

5 comentários

Comentar post