Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A mãe imperfeita

Porque a maternidade é difícil. E as mães precisam de rir.

A mãe imperfeita

Porque a maternidade é difícil. E as mães precisam de rir.

28
Jan19

Grupos de mães no Facebook #38

 

Rapunzel.jpg

 

 

Segunda-feira da semana do meu regresso ao trabalho. Deixa cá soprar a nuvem negra que se instalou aqui por cima da minha cabeça.

 

 

1. Mamãs, estou grávida de 21 semanas e com uma dor de dentes monstruosa. Já tentei quase tudo para aliviar e, no desespero, fumei dois cigarros para ver se anestesiava o local (costuma resultar comigo fora da gravidez). Não queria tomar remédios químicos para não prejudicar o bebé. Sugestões?

 

Ainda bem que o cigarro é um produto natural à base de propolis, camomila e dente-de-leão. Imagine-se o que seria se tivesse alcatrão, acetona e nicotina, por exemplo...

 

 

2. Meninas, onde posso comprar uma cadeira de papa daquelas do IKEA?

 

Hmmmmmmm, já procuraste na Zippy?

 

(Oligofrenia: palavra que designa a gama de casos em que há um défice de inteligência no ser humano. [in: Wikipédia])

 

 

3. Mamãs, com treze dias de pós-cesariana já podemos escovar os cabelos sozinhas?

 

Mas tu és quem? A Rapunzel?

 

 

4. Mamãs, uma grávida pode engolir esperma? Sem julgamentos por favor.

 

É assim amiga, poder pode; convém é que, antes do acto, a pila seja mergulhada em Amukina e permaneça lá de molho entre três a cinco minutos.

 

(Já as nossas avós diziam que cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém, não é verdade?)

 

 

5. É verdade que a cor da aréola da mãe é a cor dos olhos do bebé?

 

Sim. É por isso que é tão comum encontrarem-se aréolas verdes e azuis.

 

 

6. Meninas, disseram-me que a dor no parto é como levar três facadas. É verdade?

 

São três facadas mas não são três facadas quaisquer. São facadas aplicadas por um sádico que usa uma faca de mato enferrujada enquanto canta um hit da Maria Leal para nos impingir dor psicológica ao mesmo tempo que nos dilacera o corpo. Pronto, assim mal comparado é isto.

 

 

7. Olá a todas. Ando preocupada... O meu G. continua a ser o mais pequenino da sala, parece um anão ao pé dos outros todos. Já fomos à médica dele que nos encaminhou para uma especialista que diz que está tudo normal com ele e que é mesmo a estatura dele que é assim. Mas vejo-o tão pequeno que nem sei o que pensar ou fazer...

 

Levá-lo à Disney e apresentá-lo à Branca de Neve?

 

(E escusam de vir com o mimimi que não devia brincar com isto porque a pessoa já foi ao médico que lhe disse que estava tudo normal. Além disso, se eu brinco com a surdez do meu, brinco com o que eu quiser. Tenho dito. Digite amém e repasse.)

 

 

8. Meninas, sou só eu que fico preocupada por o meu namorido só querer ter relações comigo à "canzana"?

 

Preocupada porquê? Ele tem-te pedido para ladrares?

 

 

(E pronto, é oficial, esta rubrica bateu tão fundo, tão fundo, tão fundo que é possível que, dentro em breve, estejamos todas afogadas em petróleo.)

 

 

 

* Imagem retirada do Google

31 comentários

Comentar post

Pág. 1/4