Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A mãe imperfeita

Uma mãe imperfeita, cansada e desarranjada, que veste o puto na Zippy e na Primark e lhe dá Papa Cerelac ao lanche. Às vezes, quando se porta bem, ganha uma bolacha Maria.

12
Abr18

O mundo é um lugar feio

crianças-e-mundo-feliz-65644484.jpg

 

Ensinem os vossos filhos que não são donos de coisa nenhuma. Ensinem-nos a pisar o chão com o respeito de quem é convidado. Não criem pequenos monarcas, pequenos ditadores sempre zangados. Criem crianças respeitadoras, daquelas que não parecem ter sempre excremento debaixo do nariz, cara franzida e ar superior. Ensinem os vossos filhos que ninguém é mais nem melhor do que ninguém. Façam as crianças entenderem que é o camponês que semeia a terra quem lhes permite ter comida na mesa, ajudem-nos a compreender que a senhora que varre o lixo mantém limpa a cidade em que vivem. Ensinem-nos a respeitar os animais e a natureza. Deixem-nos perceber que nada é eterno e que o sentido de propriedade é quase sempre um engodo.

 

Não criem crianças mal-educadas, respondonas e que humilham aqueles que, teoricamente, são mais fracos ou ocupam uma posição social menos relevante. Ensinem-nos que o que é verdade hoje é mentira amanhã e que nem tudo é o que parece. Mostrem aos vossos filhos o verdadeiro significado da solidariedade e da amizade. Expliquem às vossas crianças que há pessoas a quem vale a pena doar um rim e que toda a gente merece ser amada. Respeitem a senhora que vos ajuda em casa, o empregado de mesa que vos atende no restaurante e a senhora que limpa a casa-de-banho do centro comercial. Assim, eles vão aprender a respeitá-los também. Criem crianças que desconheçam o significado da palavra racismo porque nem sequer lhes passa pela cabeça que haja diferenças entre branco e preto, vermelho e amarelo. Comprem uma cozinha de brincar ao vosso filho e uma pista de carrinhos à vossa filha. Aceitem-nos se forem diferentes e nunca lhes permitam sentir vergonha por isso.

 

E reparem que isto é quase irónico, sendo escrito por mim que nem sou particularmente boa pessoa. Mas quero muito que os meus filhos sejam. Felizes e bons, é tudo o que desejo para eles. E hoje, hoje caraças, vi uma menina que não devia ter mais de oito ou nove anos a tratar de uma forma pior que rude a senhora que limpava a casa-de-banho do centro comercial. E a mãe? Essa nada disse, limitou-se a sorrir, quase como se fosse engraçado ter uma filha mal-formada que acha que a terra gira à volta do seu umbiguinho. E o mais triste para mim foi perceber que para aquela criança já não há remédio. Vai crescer a acreditar que é melhor que "a preta que está a limpar as sanitas" quando, na verdade, se vai tornar (ou já é) uma coisa muito pior, muito mais baixa e medíocre. Suponho que de uma forma ou de outra a vida se vai encarregar de meter a menina no devido lugar, ou então não e talvez acabe por premiá-la pela podridão de carácter, não sei. Prefiro acreditar na primeira hipótese.

 

Se seguem este blogue sabem que não sou nada apologista dos textos a puxar ao sentimento, antes pelo contrário. Geralmente sou pelo curto e grosso, pela verdade nua e crua. Mas hoje até fiquei doente porra. Às vezes as crianças são muito más e o mundo é um lugar muito feio.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D